NOVIDADES
Loading...

O vocalista Michael Kiske concedeu uma entrevista para o site The Metal Circus e falou sobre suas motivações para se reunir novamente com o Helloween, sua relação com Andi Deris, as preparações para o novo álbum e o futuro junto com a banda.

Durante a entrevista, Kiske diz que voltar a conversar com todos do Helloween era uma questão pessoal e gostaria de resolver todos os problemas do passado - "Para mim, tudo isso, era uma questão pessoal. Eu queria resolver algumas coisas do passado e falar com todos de novo. É assim que tudo começou. Evidentemente, o empresário lançou a turnê e tudo o que a cerca".

O momento certo: 

"Analisando os últimos trinta anos da minha vida, eu percebo que as coisas tinham que ser assim" analisa. "Eu não estaria onde estou agora se não tivesse feito tudo o que fiz antes. Para que houvesse coisas boas na minha vida agora, tudo tinha que ser assim. É assim que eu vejo. Veja como nos damos tão bem entre nós agora, como me dou bem com Andi ... Por anos, Andi era um inimigo, foi o cara que ficou com meu trabalho. Nós não nos conhecíamos, nós tínhamos acabado de trocar um 'olá' muito rapidamente uma vez. Mas, claro, ele ficou com a minha posição como vocalista e na minha cabeça era uma figura dolorosa. Ser capaz de finalmente conhecer e ver que nos damos tão bem tem sido ótimo ".

Relação com Andi Deris:

"Eu me dou muito bem com Andi", diz Kiske. "Eu acho que ele é uma pessoa muito gentil. Nós até nos vemos em particular ocasionalmente porque temos um relacionamento muito bom. Como as vezes digo, só a vida pode escrever histórias como essa".


Novo álbum com o Helloween:

Em fevereiro, na cidade de Tenerife, Espanha, Kiske e Deris vão se reunir novamente para começar a compor as músicas para o novo álbum do Helloween, o primeiro desde a reunião, e Kiske falou sobre como gostaria que soasse esse álbum:

"Achamos que seria bom nos vermos e começar a trabalhar juntos. Andi é um compositor muito bom e compôs algumas das principais músicas da banda nos últimos anos", diz Kiske. O novo álbum é um dos mais esperados pelos fãs nos últimos 25 anos. Um álbum que, segundo Kiske, deve chegar "entre o final de 2019 ou o início de 2020".

"Eu não sei como vai soar", ele ri. "Eu ainda gosto do material dos 'Keepers'. Eu continuo me identificando com ele e é bom para a minha voz. Liricamente e musicalmente acho que são discos com grande espirito. Espero que possamos compor nesse estilo sem copiar o que já fizemos. "

"Haverá também outros elementos, porque cada indivíduo tem sua maneira de compor e suas idéias. Acho que teremos muitas músicas para trabalhar e que nossos empresários terão que tomar decisões sobre isso para fazer uma seleção do que acontecerá no álbum. Eu não acho que encontraremos uma maneira de escolher o que deve sair de nossa parte e acho que teremos muitas, muitas músicas. Os compositores vão pensar que suas músicas são boas e que será bom para uma figura neutra como Jan (empresário do Helloween e sócio proprietário da Bottow Row Management) tomar a decisão. Ele é um cara legal. Eu confio muito nele ".

Kiske destaca um detalhe novamente: "Espero que haja muito som dos 'Keepers'. É a minha época na banda e ainda gosto e continuo me identificando com ele".

"Vamos ver que tipo de gravação fazemos, vamos ver como isso se traduz nas novas músicas. É importante para mim ver se somos capazes de fazer um bom trabalho. Temos muitas pessoas criativas na vida e temos dois cantores e meio ou três. Estou muito curioso sobre o resultado".


Não fazemos por dinheiro e só saio quando morrer

Falando sobre a turnê e todo o bom relacionamento que os fãs vêem nos palcos, Kiske é enfático: "Nós não estamos fingindo isso. Não poderia. Quem me conhece sabe. É ótimo estar ganhando dinheiro e todos nós temos nossas contas a pagar. É muito bom participar de turnês de sucesso e tudo isso é muito bom, mas essa nunca foi a razão de tudo isso. Eu sempre tento estar onde meu coração diz. A coisa do Helloween, a reunião, foi algo que eu propus. Durante anos, não quis saber nada sobre isso. Eu não queria fazer isso. Eu tinha muito ressentimento dentro de mim ainda".

"Esta é uma família. Nós tivemos nossos momentos e nós éramos muito grandes nos anos 80 e parte dos anos 90. Eu, então, dei uma longa pausa na banda e agora estou fazendo coisas com eles novamente, porque é a hora certa, pessoalmente. Se fosse pelo dinheiro, poderíamos ter feito isso em 2008 e teria funcionado melhor, porque a indústria fonográfica estava em uma situação melhor e tudo mais. Eu não estava pronto. Eu não estava. Meu coração não estava pronto e eu não estava pronto até recentemente. Agora vou continuar com isso até onde der. Se continuar tão bom quanto é neste momento, espero ficar no Helloween até morrer".


Está chegando a hora, dentro de pouco mais de um mês, a Helloween Brasil vai lançar o "Helloween Brazilian Tribute - Part II", álbum tributo inteiramente com bandas brasileiras em homenagem ao Helloween. Pensando na proximidade do lançamento, o site decidiu mostrar um pouco mais das bandas que estarão presente nesse tributo e suas escolhas de músicas.

O álbum contará com  24 músicas, escolhidas pelas próprias bandas que irão gravar, divididas em dois álbuns com 12 músicas cada, e algumas das bandas falaram sobre o que as motivou a escolher cada música e o que significa para elas estarem presentes nesse tributo.

A banda Caravellus, que retorna após um período de hiato, diz que a participação no tributo é como um retorno ao inicio da banda - "A participação neste tributo ao Helloween é motivo de honra para nós. Nos remete aos primórdios do Caravellus, em 2001, quando tínhamos uma linha mais power metal. Portanto, não deixa de ser um momento de retrospectiva e de boas lembranças de uma árdua estrada percorrida". Sobre a escolha da música, o grupo fala que a faixa se encaixa com o novo som da banda - "Escolhemos a Mankind, do álbum Pink Bubbles Go Ape, por ser uma música com climas, variações e que se encaixa mais com o som Progressivo que o Caravellus faz, atualmente".

A banda paulistana Instincted fala em "um sabor especial" participar do tributo - "Participar deste tributo tem um sabor bem especial porque todos nós somos fãs e crescemos ouvido Helloween". A banda escolheu uma música já conhecida por seus integrantes e acreditam que ela representa bem o som da Instincted - "Escolhemos a música The Departed (Sun Is Going Down) porque ela foi escolhida como parte do set nos primórdios da banda, quando ela ainda fazia apenas covers. Todos são muito fãs da fase com o Andi e o The Dark Ride representa bem o lado pesado e denso da Instincted".

A banda Final Disaster, que vai gravar a música 'Waiting For The Thunder', do álbum "Straight Out Of Hell", se apegou a sua própria história na escolha e falou um pouco sobre isso - "O álbum foi lançado no ano em que a banda foi fundada, e como o Helloween é uma de nossas influências, há uma relação íntima entre o Straight Out of Hell e a própria história do Final Disaster. A Waiting for the thunder, é uma música que sempre nos chamou atenção. A melodia é cativante, a música tem um punch muito particular e único, sem deixar de ser uma música com a cara do Hellowen". Eles também comentaram sobre a importancia do tributo, falando que "o Helloween merece uma homenagem como esse tributo e temos certeza que faremos uma versão que faça jus ao que ela significa".

Outra banda que tem fortes laços com a banda, por seus membros serem grandes fãs do Helloween é a banda Soulmetal, que vai gravar a música 'Secret Alibi', do álbum "Master Of The Rings". O vocalista Cadu Cavalcante falou um pouco sobre essa relação e a escolha da música. "Helloween sempre foi a banda do meu coração! Ouço a banda desde criança. escolher uma música de uma banda na qual você acompanha a carreira a tanto tempo e coleciona os álbuns, não é tarefa fácil. Sou super fã de Michael Kiske, que é uma das principais influencias para fazer música, porém sou louco por Andi Deris e esse foi o fator principal para escolher algo que Deris tenha feito, Secret Alibi, passa aquela sensação de se perguntar por que a banda não toca essa música nos shows? Porque de fato ela faria um fã de Helloween, como eu, chorar e cantar junto"!

Kameratta, que escolheu a balada 'A Tale That Wans’t Right' e promete fazer uma versão surpreendente da música, deu alguns detalhes do que se pode esperar deles no tributo - "É uma música muito emblemática para a banda, foi uma das primeiras músicas do Helloween que os integrantes ouviram. Além de ser uma das baladas mais lindas do Heavy Metal, foi um dos primeiros solos que o guitarrista Jeff Marques aprendeu. Uma das características do grupo é mesclar com o som pesado, um tempero brasileiro em suas composições, e  na nossa versão não será diferente! Por ela ter uma parte "acústica" no início, utilizaremos a viola caipira para compor os acordes, porém de forma sútil para não descaracterizar o arranjo original".

Os paulistanos do InSoulitary também deram alguns detalhes da versão que vão gravar da música 'Paint A New World' - Escolhemos essa música porque reflete bem nosso estilo! O que fizemos nela foi dar um toque nosso, colocando blasting beats e teclados, além do mix entre vocal limpo e gutural, deixando-a a nossa cara! Essa música tem mais peso que a maioria das músicas do Helloween e ao mesmo tempo não perde as características melódicas, assim como as músicas da In Soulitary". A banda falou também sobre o tributo e a qualidade das bandas brasileiras - "Participar em um tributo do gênero, especialmente em um do Helloween, é mais do que uma honra pois a qualidade das bandas brasileiras não deixa nada a desejar às de outros países e sabemos do esforço de todas para poder mostrar seu trabalho e ter seu espaço no meio musical".

Diogo, vocalista da banda Burning Christmas, falou sobre como foi fácil para a banda escolher a música 'The Dark Ride' - "Foi uma escolha "fácil" para nós, ela tem as características que nós adoramos, obscura e pesada, épica e melódica, com a linha vocal carregada com uma emoção incrível do Deris, que cativa todos que amam o heavy metal!! Estamos trabalhando para que possamos transferir toda essa energia que a The Dark Ride nos passa, para a nossa versão desse clássico".

Já Dejair Benjamim, vocalista da banda Tchandala, que vai gravar uma versão para a faixa 'Open Your Life', falou sobre ser uma honra estar presente em um tributo ao Helloween e que a banda é uma das grandes referências da banda - É uma grande honra ter o nome da Tchandala vinculado ao do Helloween nesse tributo. O Helloween sempre foi uma grande referência pra mim como vocalista, os seus álbuns marcaram bastante várias fases da minha vida pessoal e como músico. A escolha de 'Open Your Life' foi por conta da mensagem que ela expressa, além de ter uma energia contagiante e uma melodia fantástica.

A banda Ankhy, que vai gravar a icônica 'Eagle Fly Free' comentou sobre como a música se mantem atual, mesmo após 30 anos - "'Eagle Fly Free' sem sombra de dúvidas é um dos grandes hinos da banda e nos remete fortemente a adolescência! 30 anos depois ela ainda soa muito atual, refletindo não só a situação do nosso país mas do mundo todo, onde temos a águia como um simbolo de poder, figurando um sopro de esperança para tempos melhores. Certamente é uma das musicas mais poderosas da banda".

O vocalista da banda Ninne, que vai regravar a música 'Why?', falou sobre a escolha da música e sua mensagem, além de também falar sobre a participação no tributo - "Percebe-se que existe um monólogo de Andi para Deus. De certa forma é uma reclamação de coisas que não o agrada. Exatamente isso que faço todos os dias ao me deitar para dormir, reclamar para Ele. Apenas um monólogo sem resposta. E  a estrutura rítmica, bem cadenciada me agrada demais. Estamos muito felizes com essa oportunidade de poder participar deste tributo com tantas bandas ótimas no cenário nacional. Certamente vamos fazer um tributo a altura das bandas internacionais. Foi uma grande honra e surpresa termos sido escolhidos para esse tributo e realmente não esperávamos estar dentro."

A banda Aliquid vai gravar a música mais "nova" do Helloween nesse tributo, e falou sobre a sua participação - "Estamos muito felizes em participar do tributo desta banda que influencia tantas bandas de metal mundo afora. Escolhemos a 'My God-Given Right' porque ela tem refrão marcante e vai combinar perfeitamente com o estilo da Aliquid de tocar".

Já os membros da banda Silent Vanity falam sobre o desafio em ser uma honra estarem em um tributo ao Helloween - "Pra nós é uma grande honra participar de um tributo a uma das bandas mais emblemáticas do metal. Escolhemos "Are you metal" porque é uma canção cheia de energia, que agrada a todos os integrantes e ainda nos proporcionará um baita desafio: ser fiel a proposta original da música sem deixar de imprimir um pouco da nossa identidade".

A vocalista Laura Giorgi, que se apresenta de forma solo no tributo, vai regravar a "pequena" 'The King For A 100 Years', e falou sobre como o Helloween foi e é importante em sua vida, ajudando-a em momentos difíceis - "Eu estou extremamente feliz de estar participando do tributo à minha banda favorita, o Helloween. Em 2006 eu entrei em uma depressão profunda causada por diversos aspectos na minha vida, e era muito jovem pra entender tudo e simplesmente trabalhar para uma melhora. O tempo passou, os sintomas mais pesados foram embora, mas eu me sentia sóbria, vazia, como se não conseguisse sentir nenhum tipo de emoção a mais. Foi então que me emprestaram o dvd Live in 3 Continents do Helloween. A primeira música começou a tocar, e era The King for a 1000 Years. Eu nunca me esqueço a sensação, o arrepio, que ela me causou, coisa que eu não sentia há anos desde então. Essa música me fez sentir viva novamente, sendo desde daquele dia a minha música favorita na vida. Ela tem tudo que eu gostaria de expressar e sentir numa música, ela é perfeita para mim".

A banda curitibana Phelan escolheu a clássica 'Power', do álbum "The Time Of The Oath" falou sobre essa escolha - "A escolha da música "Power" foi quase um caminho natural da banda. Já havíamos tocado ela em outros eventos, mesclada ao repertório próprio da banda. Na história do Helloween esta música, e o disco da qual faz parte, é um grande marco para o power metal e influenciou muitas bandas pelo mundo. A letra de 'Power', aspecto que sempre damos muita importância em nossas composições, traz uma mensagem com energia e conteúdo notáveis".

Para a  banda Scherzo, fazer parte do tributo é uma forma de agradecer por tudo que o Helloween já fez - "Posso dizer que para todos nós é uma satisfação imensa fazer parte do tributo. Como amantes e músicos de Power Metal, o Helloween teve  e tem influencias muito fortes sobre todos nós. Poder mostrar nossa gratidão em forma de contribuição para este ótimo trabalho, é realmente uma honra". A banda vai gravar a música 'Final Fortune', do álbum "Gambling With The Devil" e também falou sobre essa escolha. "É um álbum muito importante para o momento que nossa banda vive hoje, onde também acreditamos na criação de ótimas músicas sem necessariamente seguir uma tendência de “conceito” para um álbum. A música tem riffs fortes, melodias trabalhadas, e se encaixou como uma luva para o perfil da banda! Estamos ansiosos para mostrar a todos o melhor do nosso trabalho".

Em 2014, a Helloween Brasil já havia organizado um grande álbum tributo em homenagem aos 30 anos da banda Helloween somente com bandas brasileiras. O álbum, intitulado de Helloween Brazilian Tribute - 30 Years Of Happiness", foi lançado de forma digital, para download gratuito através do seu site e foi um grande sucesso. Foram realizados mais de 150 mil downloads através dos links oficiais oferecidos pelo site e as versões gravadas pelas bandas tiveram grande repercussão entre os fãs de Helloween e a mídia especializada.

"Helloween Brazilian Tribute - Part II" será lançado no dia 24 de dezembro, com  e será um grande presente de fim de ano para todos os fãs da maior banda de Power Metal e criadora do estilo que tanto influenciou músicos de todo o globo. 

Antónia Valisková, mais conhecida como Tonka Raven, baixista da banda eslovaca Ravenclaw, e também esposa do guitarrista Kai Hansen, revelou na tarde deste domingo (28), que está grávida. A gravidez já está no sétimo mês e será uma menina.

Tonka e Kai se casaram no inicio do mês, no dia 12 de Outubro, na região de Košice, a segunda maior cidade da Eslováquia.


Hansen já é pai de Tim Kanoa Hansen, guitarrista da banda Induction, nascido em 1999.

A Helloween Brasil parabeniza Kai e Tonka e deseja que eles sejam muito felizes em mais essa fase de suas vidas.


O Helloween está de volta à América do Sul e se apresentou na noite de ontem (26), no festival Knofest, na cidade de Bogotá, na Colômbia, com a sua "Pumpkins United World Tour".

A banda fez um show de uma hora e meia de duração, apresentando os principais clássicos das suas mais de três décadas de história, para um público que esgotou os ingressos disponíveis para o festival.

Veja o set-list e fotos do show no final da matéria. Assista a apresentação completa no vídeo abaixo:


O Helloween segue com suas apresentações pela América Latina e tocará em El Salvador (28), no Chile (31), no México, nos dia 2 e 4 de novembro, e na Argentina, no dia 8 de novembro.

HELLOWEEN SETLIST - LIVE AT KNOTFEST COLOMBIA:
01. Halloween
02. Dr. Stein
03. March Of Time
04.  Are You Metal?
05. Starlight/Ride The Sky/Judas/Heavy Metal (Is The Law) [Kai Hansen Medley]
06. Livin' Ain't No Crime / A Little Time
07. Power
08. How Many Tears
09. Invitation
10. Eagle Fly Free
11. Keeper Of The Seven Keys
12. Future World
13. I Want Out

Knotfest Colômbia 2018 (26/10)

O guitarrista e vocalista Kai Hansen se casou com Antónia Valisková, mais conhecida como Tonka Raven, baixista da banda eslovaca Ravenclaw, na tarde desta sexta-feira (12).

Kai e Tonka mantém um relacionamento que já dura mais de três anos e se casaram na região de Košice, a segunda maior cidade da Eslováquia.



Hansen já se casou anteriormente, nos anos 90, com Gabi Hansen, em uma cerimonia que contou com a presença de Ingo Schwichtenberg e Ralf Scheepers, que cantou na cerimonia. Desse primeiro casamento, nasceu Tim Kanoa Hansen, atualmente guitarrista da banda Induction.

A Helloween Brasil parabeniza Kai e Tonka e deseja que eles sejam muito felizes no casamento.

Não vai ter Helloween no Brasil em 2018, mas vai ter no Rock in Rio. É o que afirma o jornalista e editor de Diversão & Arte do jornal Destak. A banda alemã de heavy metal deixou o país fora de sua turnê sul-americana, que acontece no mês que vem, mas, em compensação, acertou sua participação no megafestival carioca, cuja edição de 2019 acontece daqui a quase um ano.

No ano passado, Roberto Medina, principal executivo do Rock in Rio, falou que a próxima edição do festival vai contar com um "Dia do Metal", algo que faltou na última edição e que foi bastante criticada pela ausência de representantes do metal. 


Outra banda especulada no festival é a britânica Iron Maiden. Em entrevista no inicio do ano, o vocalista Bruce Dickinson falou sobre a banda estar conversando para isso acontecer - “Não faremos show no Brasil este ano. Talvez no ano que vem”, disse. “Pode ser no Rock In Rio. Estamos conversando". A também alemão, Scorpions, já está confirmada na próxima edição do Rock In Rio.

O Rock in Rio de 2019 será realizado nos dias 27, 28 e 29 de setembro, e de 4 a 7 de outubro.